Roteiro de viagem: Buenos Aires, Argentina

Queridos leitores, desculpe minha ausência por aqui... Mas todo o meu tempo dedicado ao trabalho está resultando em um aprendizado inenarrável. Confira alguma das minhas matérias assinadas na Revista VERO a partir de maio/2016: https://issuu.com/veroalphaville3

Vamos ao que interessa, né não?
Do dia 13 ao 17 de julho, fui viajar com meus pais para conhecer a charmosa Argentina. Estive em diversos pontos turísticos, bares e bairros, e, como amo mostrar tudo para vocês, pensei em fazer mais um diário de viagem... Porém, entretanto, todavia, como estou sem tempo para editar vídeos, resolvi montar um roteiro:
1º DIA - Conhecer as redondezas, comer guloseimas e tango
No primeiro dia acordamos cedo e saímos sem mapa e rumo, queríamos conhecer a cidade. E logo de cara, a dica é realmente fazer isso para ficar familiarizado com as redondezas de onde você ficará hospedado. Seguimos a sugestão do Ricardo Almeida - jornalista e viajante - e iniciamos o dia no Café Tortoni. A sugestão é pedir um chocolate com churros, para as meninas, e um chocolate com conhaque, para os meninos. Nada melhor do que iniciar uma viagem congelante desse jeito, né? Depois dessa delicia, fomos bater perna pelo centro da belíssima Buenos Aires. Conhecemos pontos turísticos como o Obelisco, a Casa Rosada e a Catedral Metropolitana - a mais linda que já vi da vida -. Após muita caminhada, fomos garimpar na melhor rua do centro, a Florida, que é uma ótima pedida... 
"E a indicação para almoço?Bom, alguns amigos da família nos sugeriram o restaurante Siga La Vaca, que fica no Puerto Madero. A base foi de 320 pesos argentino, convertidos em R$80, por pessoa. Incluso comida a vontade, sobremesa e uma bebida (desde coca cola até garrafas de vinho). Lá eles não têm o costume dos acompanhamentos quentes, ou seja, só tem o básico: arroz, purê e batata frita. Na parte de saladas é ao contrário, existe uma grande variedade de escolhas. E não posso deixar de falar do principal: as carnes, é claro! 
Dica: a costela de lá é uma delícia. 
Depois de um bom almoço/lanche da tarde (já eram 17h), pegamos um táxi e fomos para o hotel descansar.
Já de noite, voltamos ao Café Tortoni para assistir uma apresentação teatral de tango. Foi incrível, super indico... Mas se você está querendo dar uma balanceada nos valores e assistir algo mais elaborado, lá vai meu conselho: guarde esse dinheiro - e junte mais um pouquinho - para ir no Madero Tango. 
 Chocolate com churros 
Obelisco 

Casa rosada com a melhor do mundo: mamãe. (Igual a primeira foto!)
Catedral Metropolitana, a mais linda que já vi!
Restaurante Siga La Vaca
 Tango pede vinho!


2º DIA - Visita à Recoleta, empadas argentinas e bares de Palermo 
Para o segundo dia, escolhemos tomar um café da manhã mais elaborado e reforçado no hotel, para evitar alguns custos desnecessários. Depois, saímos em rumo a rua Florida novamente, dessa vez, o objetivo era conhecer uma boa empresa de turismo para nós indicar alguns passeios. Dito e feito, ficamos por algumas horas na agência escolhida até decidir todas as opções (que vocês saberão nos dias 3 e 4).  
Com um roteiro cheio de aventuras, pegamos um táxi rumo a Recoleta - um dos bairros mais lindos de Buenos Aires -. 
A dica do almoço é o restaurante El Sanjuanino: peça as tradicionais empadas argentinas, você não vai se arrepender. Se estiver em duas ou três pessoas, peça uma de cada sabor e dívida no meio, assim você experimenta um pouquinho tudo. Fizemos isso e saímos de lá satisfeitos! Ahh, uma sugestão para bebida: drink sangria, que super combina com empanadas. 
Depois de satisfeito, vá andar -assim como nós fizemos- e conheça grandes belezas desse bairro. Na rua Junín existe uma grande variedade de lugares para visitar. O famoso cemitério da Recoleta, por exemplo, além de encontrarmos diversas obras de artes por lá, podemos visitar os túmulos de diversas personalidades famosas, como o da querida Evita Peron. Também visitamos o Centro Cultural Recoleta e uma mini galeria subterrânea, onde você pode tomar um delicioso sorvete de doce de leite ou um gostoso café do starbucks. Fora a grande opção de restaurantes por lá! Ali pertinho, podemos ir à Praça del Pilar, aproveitando o elegante Paseo del Pilar descobrimos um Hard Rock Café e o Buenos Aires Design Center. Depois, fomos em direção ao Museu Nacional de Belas Artes e vimos, de longe, outro ponto turístico: a rosa metálica - Monumento Floralis Genérica - que abre e fecha. Não conferimos de perto porque estávamos mega cansados e precisávamos descansar para o compromisso da noite, mas se você puder, vale a pena visitar
Restaurante El Sanjuanino
Paseo del Pilar ao fundo. Lugar lindíssimo!

Túmulo de Evita
  Ponte que vai para o Museo Nacional de Belas Artes

Monumento Floralis Genérica


Voltamos para o hotel de táxi e tiramos um cochilo... Mais tarde, nós nos arrumamos e fomos para o lugar que eu mais enchi o saco dos meus país para ir (hahaha): o bairro Palermo. 
Lá tem uma grande variedade de bares, digamos que é como se fosse uma "vila madalena" na Argentina. PS: por lá, os bares começam a lotar tarde. Então se você é jovem e quer conhecer uma noitada estrangeira, vá em algum bar ou restaurante comer e conhecer, depois vá para uma baladinha ou bar badalado para dançar e curtir como um bom brasileiro
Look da noite: muito amor por um frio cheio de estilo
Dicas: 
Lupita's bar é um bar com comida mexicana. Totalmente temático, com uma decoração incrível, a comida deliciosa e toca de tudo por lá. E o melhor: bom preço! Se não está afim de pegar fila e esperar, aconselho que reserve antes por telefone. O lugar é conhecido e super lota na hora de jantar!  
Eu sou louca por comida mexicana! 😻
Claro, não podia faltar os drinks
Nhaaaa, estava com tanta fome que nem tirei foto do lugar... Mas ele fica na rua Fitz Roy - que é bastante conhecida -. Fotografei só nesse portão top, do outro lado da rua! 
Franks bar - o meu favorito da vida -. Pesquisei muitos bares antes de visitar Palermo, e a ideia do Franks foi a que mais me chamou atenção. 
Imagina que louco: para entrar nesse bar você precisa descobrir uma senha, as dicas são divulgadas no facebook do estabelecimento. Quando você passa pela rua em que ele se encontra, nem imagina que seja um bar e o que tem dentro dele, a entrada é apenas uma portão preto com uma campainha. O segurança é um cara enorme que não dá nenhuma risadinha, cumpre o papel dele como ator nessa brincadeira. Ai você fala a senha e ele te passa um número, tu vai até a cabine telefônica e disca esse número num orelhão... Eis que destrava o fundo da cabine telefônica - que, na verdade, é uma porta - e então, você entra num bar balada enorme, lindo, chique e com muita gente bonita. 
O ponto fraco do estabelecimento é o valor, tudo é meio caro por lá. Se você está pensando em ir para encher a cara (hahaha), não é indicado. Mas, com certeza, ir para fazer essa brincadeira dos bares de antigamente - speakeasy -, já vale a pena.  
Cabine telefônica para colocar a senha numérica!
Encantada com a brincadeira.
3º DIA - Zoológico e mais tango
O ideal é sempre acordar cedo em viagens, não perca tempo dormindo! No terceiro dia, acordamos cedinho, tomamos café e fomos até um open 25hrs - um mercadinho que nunca fecha e tem em toda esquina - ao lado do hotel para comprar alguns lanchinhos para o nosso dia.
O passeio escolhido nesse dia é um tanto polêmico, mas quero esclarecer tudinho para vocês. Fomos no zoológico Lujan! Devido a alguns boatos, que vão desde dopar os animais até tirar os dentes deles, eu e minha família julgávamos o ambiente e dizíamos que não iríamos lá. Mas depois de conversar com o cara da agência, que era um brasileiro, descobrimos muitas coisas:  
1 - Os animais são criados com cachorros desde que nasceram, ou seja, tem uma rotina de domesticação igualzinha... Em diversas jaulas, encontramos tigres e cachorros juntos. Em uma delas, dormiam uma ninhada de uns 10 filhotes, entre eles tigres, leões e cachorros, um agarrado no outro. Os felinos acham que são cachorros Face de gato com lágrimas de alegriaFace de gato com lágrimas de alegria de tão dóceis.
2 - Quando os animais não querem tirar fotos ou brincar com os visitantes, o zoológico não os força. Isso é real e presenciei várias trocas. Quando o treinador percebe qualquer sinal de cansaço, estresse ou irritação no animal, logo o deixa livre e muda para algum que esteja mais animado e afim de carinho. 
3 - Não, os bichinhos não são dopados ou ajeitados com "pauzinhos" para sair bem nas fotos.  
4 - Todos têm dentes. E são bem grandes e afiados! 
5 - O amor de todos os animais com seus respectivos treinadores, fotógrafos e ajudantes, era claro. Então, eles não são maltratados, muito pelo contrário, são tratados com muito amor, mimo e atenção. 





 Tigrinhos e cachorrinhos juntinhos nanando!











Saímos do zoológico, que fica em uma cidade mais afastada, por volta de 15h30. Fomos direto para o hotel, precisávamos descansar para ir no passeio noturno: mais tango!
Depois de cochilar, nós arrumamos e fomos rumo ao Madero Tango para jantar e assistir um grande espetáculo. O estabelecimento fica no Puerto Madero - outro ponto turístico lindo e cheio de restaurantes -, fechamos os ingressos naquela agência de turismo: por pessoa foi por volta de 1000 pesos argentinos, que são 250 reais. Esse valor incluía o jantar (entrada, prato principal e sobremesa), bebidas como vinho ou champanhe (tinha que escolher apenas um), refrigerantes, água e cerveja à vontade, espetáculo de tango com quase duas horas de duração e translado ida e volta. 
O show foi incrível, não tenho palavras para descrever. Todos os dançarinos, atores e cantores eram super dedicados e exerceram sua função com excelência.
A dica para o jantar é pedir uma salada para a entrada e bife de chorizo para o prato principal. Ambos muito saborosos! 


Puerto Madero ao fundo... Coisa mais linda!
Dentro do Madero Tango. O lugar é phyyyyno! hahaha
Minha vida!
 4º E ÚLTIMO DIA Face de gato chorando - Passeio de barco, feirinha e adeus Buenos Aires
Acordando ainda mais cedo, tomamos café e fizemos o check-out, já que sairíamos durante todo o dia e nosso voô era anoite. O translado da agência veio nos buscar: a escolha para o último dia foi passear de barco pelas ilhas da cidade de Tigre. Chegando na cidade com a van, já ficamos impressionados com a beleza daquele lugar. Tudo muito bonito, limpinho e organizado.
Entramos no barco, que era tipo um ônibus, coberto e com bancos fofinhos. Seguimos em direção ao rio Paraná e outros que rodeiam as ilhas. Dentro do barco, existem alguns alto falantes que explicam a história, os costumes e algumas curiosidades do local, durante a viagem. Falam em 3 línguas: espanhol, inglês e português! Só posso dizer que ficamos encantadas com todos os detalhes dessa região, desde os mais simples, até as casas mais incríveis naquelas ilhas. Sem falar que a história é uma explosão de conhecimento e cultura. Para quem pretende viajar, indico separar pelo menos um dia para esse passeio. 




 No barco com meu papai! Amor da vida toda.
Uma das paisagens de Tigre!


Mais tarde, fomos a Feira de San Telmo - a mais famosa de Buenos Aires -. Com venda de antiguidades, roupas e artes, a feirinha acontece todo domingo e é um daqueles lugares que você não pode deixar de ir! Podemos comprar de tudo: roupa, lembrancinhas, quadros, entre outros.
Após fuçarmos muuuuuito todas as bancas, resolvemos almoçar por ali mesmo, porém não resultou em boas lembranças. Então, segundo a indicação da agente de viagem da minha mamãe, vale à pena experimentar o La Estancia. Lá tem um ambiente lindo e a comida é deliciosa.




E assim acaba o roteiro de uma viagem incrível!

Quem quer vídeo de comprinhas??? Comente aqui!


Espero que tenham gostado de todos os detalhes e que ajude os próximos viajantes!
Beijinhos do coração.


Você pode gostar de

1 comentários

  1. Filha vc descreveu certinho nossa viagem curta, mas muito intensa... te amo !!!

    ResponderExcluir

Layout por: Breno Pontes | Fotos: Marcos Walke