Cello: terror deles, sonho delas

Ele é dançarino, funkeiro e sarrador. Conheça a história e os trabalhos de Marcello Lopes. De Ribeirão Pires pro mundo! 


Hoje ele tem 21 anos, mas sua relação com a dança vem desde os 12. “A escola que eu estudava tinha um projeto social de dança, comecei a dançar por influência dos meus amigos que já dançavam”, conta Marcello Lopes. Logo em seu primeiro ano de dança, ganhou o prêmio “Bailarino Revelação” e, desde então, não largou mais. Workshops com professores reconhecidos nacional e internacionalmente, aulas de todos os estilos – de jazz a hip hop – e projetos de dança os acompanha nessa trajetória até hoje. Atualmente, ele dá aula em diversos lugares: “Tenho turmas em Ribeirão Pires, minha cidade. A maioria é adolescente e é aí que tento levar o máximo de conhecimento. Mas não só relacionado a dança, também vou instruindo-os a serem boas pessoas na vida e sempre acreditarem nos seus sonhos”, diz orgulhoso. Um dos lugares em que você pode encontrar o Cello, apelido carinhoso dado por amigos e alunos, é no Westside Full – um estúdio de dança SENSACIONAL em Pinheiros/SP. Por lá, ele inova: além de ensinar hip hop, ele dá aula de passinho de funk. Isso mesmo, quem conhece o dançarino sabe que ele é apaixonado por funk desde sempre, então porque não unir suas paixões em um só lugar? “Essa ideia surgiu do nada. Eu precisava montar uma aula pros meus alunos e um dia, ouvindo funk de rotina, comecei a enxergar a música de um outro jeito. Fui imaginando ‘passos’ de hip-hop nela, então, decidi montar e deu super certo, graças a Deus”, explica.

Quem observa todas essas conquistas na vida do Cello não imagina quanta coisa ele passou para chegar até aqui. Segundo ele, a batalha para provar que a dança é um trabalho e que dá para viver do que ama foi difícil. “Hoje em dia, o apoio da minha família é bem melhor do que era antes. Agora eles reconhecem o que eu faço e até me ajudam”, continua. E isso não é à toa, ele puxou o papai no quesito determinação: “Meu pai é minha maior inspiração, principalmente com esse lance de trabalho. Ele é muito determinado, me espelho nele”. Além disso, é preciso muita inspiração no mundo da dança. As do Cello são os amigos do West, que se ajudam diariamente. Quando questionado sobre qual lugar do mundo e qual pessoa ele sonha em dançar junto, respondeu com empolgação: “Quero dançar no mundo todo! Hahahaha pokas. Chris Brown. Não sei se posso falar palavrão mas abreviando, PQP!!!!!! Chris Brown, desde criança, Av maria, que homem”. Tive que colocar essa parte na integra, porque a espontaneidade dele me encanta hahahhaha. E mais: esse gatuxinho já dançou pra famosos como Kéfera, Nego do Borel, Pedrinho e, atualmente, faz parte do ballet da Sofia Oliveira. Além de, claro, ser o criador do Creu Challange – pra quem não sabe do que eu tô falando, clique no link (https://goo.gl/i7X1jX)e dê muita, MUITA, risada.

Pena que nem tudo são flores. Aqui no Brasil, infelizmente os dançarinos não têm muito valor, mas eles seguem tentando. Afinal, um dia sem sarrar é um dia perdido (Lispector, Marcello), rsrsrsrs. A maior dificuldade para ele e muitos outros profissionais do país é o dinheiro. “Hoje tudo é dinheiro. Você tem que pagar para dançar, mas graças a Deus tô conseguido me virar nessa questão. Também tem o lance da valorização, as pessoas não nos veem como profissionais e muitas das vezes nos tratam como qualquer um”, explica. Mas quem conhece o Cello sabe de toda a sua energia e positividade, então todos os problemas não o brecaram de correr atrás do sonho de mudar vidas com a dança. Em relação a tudo isso, para o futuro, ele quer mais: “Espero que a dança domine tudo. Que tenha mais união e que, de alguma forma, possamos mudar o mundo”, finaliza.

Bate-bola rápido

Uma música: Dia de caça - 01 kilo
Um ídolo: Chris Brown
Uma inspiração: Meu pai
Uma vontade: Viajar o mundo
Um arrependimento: Nenhum 
Passo favorito: Hit the folks
Uma frase: "Terror deles, sonho delas"
Um hobby: Fotografar

Dê que adianta só falar? Vamos ilustrar todo esse sucesso aqui. Abaixo, alguns trabalhos e vídeos de muito sucesso do Cello.





Quem quiser ver mais sobre seus trabalhos, acompanhe o Cello nas redes sociais.
Marcello Lopes
@_marcellolopes

Você pode gostar de

0 comentários

Layout por: Breno Pontes | Fotos: Marcos Walke